Leito

Uma delícia única. Um manjar digno dos deuses!

Um modo próprio de criar e assar, alicerçado por séculos de tradição, transformou o leitão no símbolo do Concelho de Mealhada, constituindo a sua maior riqueza gastronómica.

Com raízes ancestrais no século XVIII, as primeiras notícias de serviços de restauração, organizados como tal, surgem nos primórdios do século XX.

Com bases remotas na produção pecuária da raça autóctone bísara, o leitão sempre constituiu um dos meios de subsistência das populações locais, sendo também a mais soberba iguaria escolhida para ser servida em festas religiosas ou pagãs.

Com o peso, em vivo, a oscilar entre os 6 e os 10 quilos, e um mês, a mês e meio de idade, o leitão deixa o leite materno para se transformar numa iguaria ímpar.

Confecionado com base num molho simples, mas inconfundível, à base de sal, pimenta, banha e alho, o leitão é assado no espeto, em forno a lenha, durante cerca de duas horas, período durante o qual vai adquirir os sabores e cores que o distinguem de todos os outros. É ele o responsável por atrair milhares de apreciadores à Mealhada, todos os dias.

O Leitão da Mealhada, reconhecido em todo o mundo, tornou-se o ícone do concelho e justifica a curiosa distinção de "concelho com a maior concentração de restaurantes especializados da Europa". Convicta do inegável valor do seu património gastronómico, a Câmara da Mealhada decidiu criar, em 2007, a marca "4 Maravilhas da Mesa da Mealhada". Água|Pão|Vinho|Leitão, que pretende ser uma marca de prestígio, com uma identidade forte, capaz de galvanizar este "centro de excelência gastronómica" e que é já reconhecida por todas as entidades nacionais.